Maze Runner – Prova de Fogo – divertido, porém muito confuso

setembro 18, 2015 Filmes24

Com “Jogos Vorazes” se aproximando de sua reta final, sobram para seus companheiros de sagas adolescentes distópicas “Maze Runner” e “Divergente” ganharem fôlego com suas aguardadas continuações. “Maze Runner – Prova de Fogo” é baseado no best-seller de James Dashner e narra a continuação da luta de jovens pela sobrevivência num mundo apocalíptico.
Embora com enredos semelhantes, Maze Runner se difere de seus concorrentes em relação ao seu protagonista ser do sexo masculino.
A estória de “Prova de fogo” é iniciada poucos minutos depois do término do primeiro filme, o protagonista Thomas (Dylan O’Brien) e seus companheiros são transportados de helicóptero para uma fortaleza fechada, eles precisam lidar com uma realidade bem diferente: a superfície da Terra foi queimada pelo sol; além disso, necessitam lutar com os Cranks, criaturas disformes que desejam devorá-los. O grupo conta com a companhia de Janson (Aidan Gillen), um agente que afirma ser de uma organização rival e de outras pessoas que escaparam de labirintos semelhantes.
Apesar das cenas frenéticas de ação e todo o suspense envolvido na trama, o filme peca por deixar pontas soltas na história, talvez pelo excesso de personagens tendo em vista que muitos foram mal trabalhados.
O enredo é omisso no sentido de não conseguir descrever de forma precisa a real intenção do labirinto do filme anterior: se este foi criado para beneficiar alguém, sua finalidade, … qual é a real função dos jovens que são estudados pela organização CRUEL? A tão falada cura seria exatamente para quê? Enfim, muitos novos personagens entram na história e seus dramas são abordados de forma superficial.
Teresa (Kaya Scodelario), a única menina do grupo tem um passado completamente misterioso que envolve Thomas e também a própria mãe, ela é peça chave na trama, porém, nada fica claro, as coisas são jogadas e deixam o espectador com a esperança de todos os pontos abordados serem realmente explicados no próximo capitulo.
Nas sequências de ação é perceptível referências a grandes clássicos como Mad Max e O Mundo Perdido- Jurassic Park; Dylan O’Brien em cena como protagonista da trama ficou ótimo, conseguindo humanizar positivamente seu personagem, fazendo com que os discursos de amizade e sobrevivência das conversas do primeiro longa (principalmente com Chuck, seu amigo falecido da primeira parte) sejam mantidos.
As cenas dele com a personagem Brenda (Rosa Salazar) e Jorge (Giancarlo Esposito) são muito boas e envolvem ação, distopia, perseguição e até um alucinógeno numa “festa”, gerando um delírio pós-apocalíptico decadente.
“Maze Runner – Prova de Fogo” é divertido, porém muito confuso, quem leu o livro pode fazer uma melhor comparação sobre o que foi mostrado na tela pelo diretor Wes Ball (Maze Runner – Correr ou Morrer) realmente condiz com a obra de James Dashner.
Para avaliar a saga de maneira geral só esperando o total desfecho do próximo longa que – ainda não foi dividido em duas partes – e em 2017 chegará aos cinemas.

administrator